Seguidores

quinta-feira, dezembro 01, 2016

Como ensinar sobre a morte às Crianças?



Como ensinar sobre a morte às Crianças?


Um dia, quando meu filho Joshua tinha seis ou sete anos, chegou em casa num choro histérico, porque um dos seus amigos caíra de um brinquedo no recreio da escola e morrera. Sentei com Josh, e disse: - Querido, sei como se sente. Está com saudade dele, e deve mesmo ter esses sentimentos. Mas deve também compreender que se sente assim porque é uma lagarta.

- Como?
Eu já conseguira romper um pouco o seu padrão. - Está pensando como uma lagarta.
Ele perguntou o que isso significava.
- Há um momento em que a maioria das lagartas pensa que morreu. Acha que a vida acabou. Quando isso acontece? - Quando aquela coisa começa a se enrolar em torno delas. - Isso mesmo. Logo toda a lagarta fica envolta pelo casulo. E quer saber de uma coisa? Se você abrisse o casulo, descobriria que a lagarta não está mais ali. Há apenas uma papa, uma substância viscosa. E a maioria das pessoas, inclusive a lagarta, pensa que é a morte. Na verdade, porém, está apenas começando a transformação. Está me entendendo? É passar de uma coisa para outra. E não demora muito a virar o quê? 

- Uma borboleta! - respondeu Josh. - As outras lagartas pequenas no chão podem ver que aquela lagarta se transformou numa borboleta?
- Não.
- E o que uma lagarta faz quando sai do casulo?
- Voa. - Isso mesmo, Josh. Sai do casulo, a luz do sol seca as asas, e começa a voar. É ainda mais linda do que antes, quando era uma lagarta. E é mais livre ou menos livre?
- Muito mais livre.
- Acha que vai se divertir mais?
- Claro... tem menos pernas para se sentir cansada.

- Exatamente, Josh. Não precisa mais de pernas, pois tem asas. Acho que seu amigo agora tem asas. Não cabe a nós decidir quando alguém se torna uma borboleta. Achamos que é errado, mas creio que Deus tem uma noção melhor do momento certo. Agora é inverno, e você gostaria que fosse verão, mas Deus tem um plano diferente. Às vezes temos simplesmente de confiar que Deus sabe como fazer as borboletas melhor do que nós. E quando somos lagartas, às vezes nem sequer percebemos que as borboletas existem, porque estão acima de nós... mas talvez devêssemos sempre lembrar quê estão lá.
Joshua sorriu, deu-me um abraço apertado, e disse: - Aposto que ele é uma linda borboleta!


by Anthony Robbins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TRADUTOR